Análise realizada com SpecFIT em matrizes de soja se fazem indispensáveis para atender demanda de qualidade da China

A nova exigência da China, determinada pela OMC em maio desse ano, é que a soja tenha um teor de óleo entre 20% e 22% e de proteína variando de 40% a 44% ou mais. O país asiático também demanda uma soja com teor menor de umidade.

Para estar de acordo com o que foi demandado pelo maior comprador global de commodity, as indústrias de soja necessitam de maior investimento em tecnologias de análise, para a determinação dos teores de proteína, óleo e umidade.

A tecnologia SpecFIT, fabricado por nós (Fine Instrument Technology), consegue mensurar o teor de proteína, óleo e a umidade de grãos de forma assertiva em menos de um minuto, de modo não destrutivo e sem gerar resíduos nem utilizar produtos químicos.

“O resultado das análises com a tecnologia SpecFIT possibilita selecionar sementes e, ainda, a escolha dos grãos colhidos que atenderão às exigências de compradores mais criteriosos, principalmente do mercado chinês”, garante a CEO da empresa. “Ter uma ferramenta de análise eficaz, hoje em dia, é fundamental.  A tecnologia tira a subjetividade e irá balizar as negociações com a China”, pontua. (Agroin Comunicação, 23 de junho de 2022)

Saiba mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.