Ressonância magnética ajuda na avaliação de carnes

A tecnologia SpecFIT pode agilizar avaliação da qualidade da proteína animal

Diferentemente de outros equipamentos, a Ressonância Magnética Nuclear não utiliza a radiação ionizante. Assim, a tecnologia não oferece risco de alterações genéticas nem para a qualidade da carne.

Um equipamento de ressonância magnética, desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com a startup Fine Instrument Technology (FIT), conseguiu o primeiro registro comercial do Brasil. O SpecFIT pode avaliar o teor de acidez, umidade e gordura de carnes, grãos, polpas de frutas e de qualquer produto da indústria alimentícia.

A tecnologia pode ser utilizada em toda a cadeia produtiva, desde fazendas às gôndolas do supermercado e até mesmo fora da produção de alimentos.

Saiba mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.